Ciência e Pedagogia Contemplativa

A questão que envolve a formação em Pedagogia Contemplativa é: “Quando Surge o homem?”. O ideal do questionamento é dar origem ao homem completo, emergido em si mesmo. O homem com sentido!

São muitos os sentidos usados pelos humanos para compreender o mundo, desde o ventre materno. A neurociência, por exemplo, tem buscado compreender de forma empírica os caminhos dos sentidos. A antropologia e a psicologia são ciências dedicadas a observação e a dedução. Todas as ciências usam métodos próprios com princípios semelhantes. A ciência contemplativa tem princípios semelhantes, mas com objetivos diferentes. Observar sem manipular e classificar. Que o observador não interfira no objeto observado.

As tradições científicas orientais estudavam o homem com os recursos que eram compatíveis ao momento, especialmente, a observação paciente e detalhada. O grande educador contemplativo, Confúcio, lembrou sobre o ser humano:

“O homem ao nascer é, por natureza, radicalmente bom. Criar e não educar é um erro dos pais. Pedras não lavradas não podem formar nada útil.”

Não havia no momento em que Confúcio cunhava suas teorias nenhum questionamento sobre detalhes, mas, uma visão global, ampla e não comedida. Por exemplo, não questionava o significava do que é ser bom, mas afirmava que o homem nasce assim. Liang 良, a expressão chinesa para bom, é muitas vezes traduzida como bom coração. Seu sentido mais literal tem o significado de  agradável . A expressão também tem relação com a ideia inata. Um modo de ser naturalmente agradável. Mas o detalhe que deve constar nessa explicação é que, ser naturalmente bom, tem a ver com o auto-tratamento generoso e gentil. O homem é primeiramente gentil consigo, e isso não é uma forma de egoismo.

Os pais deveriam, segundo Confúcio, ajudar seus filhos, moldar, usar suas características agradáveis inerentes com o objetivo de não perderem sua essência. Para tanto a educação precisaria ser prática, e um dos seguidores da Grande Escola de Confucio, séculos mais tarde, o Professor Wang Yangming, destacou esse aspecto usando a mesma expressão cunhada por seu professor original, com apenas um acréscimo.

A expressão 梁志 Liang Zhi destaca a ideia de que o homem entenderá o sentido de todas as coisas ao passo que descobre e realizaUm ato contemplativo do conhecimento. É o presente absoluto que encontramos na obra filosófica do pensador japonês Kitaro Nishida.

A observação pura é o que conduz o homem ao seu centro, a sua individuação. Porém, Confúcio destaca que não é preciso que o homem redescubra isso, pois, a criança, se continuar em seu caminho natural, já está centralizada e individuada. A cultura é que distancia o homem de seu centro pessoal para o um centro em comum.

Martin Laird, monge trapista, lembra em sua obra que o ser humano é contemplativo por natureza. O próprio homem é “uma terra silenciosa”. Augustin Monivas salienta, por isso, que o silêncio é um “tipo de atenção ou consciência que nos permite aprender a relacionarmos de forma direta  com aquilo que está acontecendo em nossas vidas, no aqui e agora.”

A contemplação pode conduzir o ser a algo semelhante ao descrito por Jung em seus estudos alquímicos, como separatio, ou o ato de obter a matéria prima. A individuação.

Ementa: o presente curso tem como objetivo formar professores, terapeutas, pensadores e facilitadores em Pedagogia Contemplativa. A formação envolve o entendimento completo do que é contemplação em diversas culturas e tradições juntamente com a formatação de um ideal contemplativo, bem como sua aplicação em todos os campos da vida, seja familiar, profissional, jurisprudência, mas, especialmente educacional.

Contamos com algumas parcerias nacionais e internacionais para o curso e as práticas:

– CMind (Center for Contemplative Mind)

– Institute for Jewish Spirituality

–  International Thomas Merton Society

– Sociedade Brasileira de Etnopsiquiatria


Data: 

Horários:

Locais: Caxias do Sul – Gramado – Garibaldi

Duração: 14 meses

Carga horária: 360 horas

Coordenador do curso: Prof. Dr. Helio Laureano

Investimentos: R$100,00 (matrícula) + 14 parcelas de R$290,00 até dia 5 de cada mês e R$310,00 até dia 10.


PROGRAMAÇÃO

1ª fase – Fundamentos da Pedagogia Contemplativa– Introdução a Pedagogia Contemplativa. O encontro com a razão de ser, com o objetivo da existência.

– Introdução aos processos contemplativos

– a mente humana e suas fases contemplativas, segundo as Escolas da Mente orientais

– biotipologia humana baseada no Ren Wu Zhi

– Quando surge o homem?

– Estudos dos mitos e a formação do mito pessoal

 

 2ª fase – Pedagogia Contemplativa Prática (Formas de contemplação)– Princípios da Literalidade: uso de perguntas no processo contemplativo. Bases judaicas de literalidade rabínica, segundo Gershon Scholem, Avraham Abulafia, Isaac Luria e Nilton Bonder.

– O silêncio no processo contemplativo. Bases cristãs do silêncio segundo pensamentos de Thomas Merton, Santo Agostinho, São Bento de Núrsia e Mestre Eckhart.

– Arteterapia Contemplativa. Bases judaicas, cristãs, budistas e orientais, incluindo Mandalaterapia Tibetana, Mandalaterapia Junguiana. Desenho da Árvore. Desenhos livres segundo conceito simbólico junguiano. Hitsuzendo.

– Jardinagem e trabalhos manuais

– Escrita Contemplativa

– Semiótica Clássica e Junguiana.

 

3ª fase – Estudos do crescimento humano– Evolução humana em Cinco Movimentos. Bases na filosofia oriental.

– Construção do equilíbrio pessoal. Autodesenvolvimento. Bases na filosofia kabbalística luriana.

 

 4ª fase – Ensino Contemplativo– Preparação e formação do professor e orientador. O professor como mediador entre o ensino e a cultura do aluno.

– Preparação do cozinheiro

– Arteterapia

– Vivência pessoal: abertura para pequena vóz

– Organização pessoal e de conteúdos

– Preparação da sala de aula

 

5ª fase – Estudo das Doenças Mentais/Psicológicas/Afetivas e a desconstrução de conceitos na Pedagogia Contemplativa– Hermenêutica do Niilismo. Bases em Heidegger e Hegel

– Epistemologia da Normose. Bases em Heidegger e Wang Yangming

– Desconstrução de padrões e normalização psicológica familiar

 

 6ª fase – Havruta– prática de sociabilização infantil

– prática de dois ou mais amigos questionando os ensinamentos

 

 7ª fase – Análise do Discurso– análise do discurso segundo a Antropologia

– análise do discurso segundo a Pedagogia Moderna

– Análise Contemplativa em quatro etapas segundo os ensinamentos do Rabino Bahya Bem Asher: pshat (literal), remez (simbólico), drash (metafórico) e sod (secreto)

 

8ª fase – Mediação de Conflitos– teorias sobre a mediação de conflito

– mediação de conflito baseada na Grande Escola Confuciana

– práticas japonesas de mediação

 

 9ª fase – Prática e clínica. TCC