Blog

Yoga Terapêutico Tibetano (Lu Jong)

47297810_2080667418662568_3711026420063928320_n

No mês de julho, no dia 27, teremos o prazer de receber no CENTRO DE ESTUDOS CONTEMPLATIVOS, a Professora Márcia Nunes Pilla. Ela é Terapeuta Holística, advogada e pós-graduanda em Práticas Integrativas e Complementares. Certificou-se como Professora de Lu Jong – Ioga Terapêutico Tibetano, em abril de 2018, pela Nangten Menlang, Centro Médico Budista.

Teremos instruções sobre a prática do primeiro grupo de exercícios do Lu Jong: O MOVIMENTO DOS CINCO ELEMENTOS, Linhagem Tulku Lobsang Rinpoche.

 

Data: 24 de agosto de 2019

Horário: 9h as 19h30 (podendo terminar antes)

Duração: 1 dia

Facilitadora: Professora Márcia Nunes Pilla

Investimento: R$400,00

Requisitos: não há

O que está incluso:
📒 Apostila impressa
☕ 2 Coffee-break
🧘‍ Teoria e Prática do Lu Jong – Os Movimentos dos Cinco Elementos


Objetivos: Autocura através da sabedoria ancestral do Lu Jong. Após o aprendizado dos Movimentos dos Cinco Elementos, o aluno estará apto a praticar regularmente o Lu Jong de forma independente e onde quiser (a prática dura apenas 15 minutos).

💡Inédito no Brasil, esse Workshop teórico-prático (de apenas um dia) ensinará os Movimentos dos Cinco Elementos do LU JONG, uma prática tibetana ancestral, que há 8 mil anos vem sendo utilizada pelos iogues que vivem nas montanhas.

💡O Lu Jong vem das tradições Tantrayana e Bön e consiste numa série de movimentos desenvolvidos pelo Lama Tulku Lobsang Rinpoche com a finalidade de promover a autocura.

💡Com essa prática, conseguimos libertar bloqueios a nível físico, energético e mental, e assim, transformar emoções negativas, aumentar a nossa vitalidade e trazer clareza à mente.

💡Adequado a todas as idades e capacidades físicas, essa prática trabalha suavemente a coluna vertebral, guardiã do nosso bem-estar.

💡Esse é um curso de autoconhecimento e prática pessoal, e não será fornecido certificado. Também não habilita o aluno a dar cursos, havendo uma formação específica para isso.

♾Todos estão convidados e são muito bem-vindos.

Saiba mais sobre a prática:

Lu Jong (baixe o arquivo)

 

Programa do Workshop:

1- Biografia de Tulku Lobsang Rinpoche
2- Lu Jong:
📌 o que é
📌 Tradição Bön e Budismo
📌 Monges eremitas

3 – Benefícios do Lu Jong:
📌 Gerais
📌 Na saúde física
📌 Na saúde mental
📌 Na saúde energética

4 – Sabedoria Tantrayana:
📌 Um ensinamento secreto
📌 A interligação entre o corpo e a mente
📌 Respiração
📌 A mente e as emoções negativas
📌 Os chacras

5 – Lu Jong – como atua:
📌 Forma e movimento
📌 A coluna vertebral
📌 A abertura dos canais do corpo

6 – Os Cinco Elementos:
📌 Introdução
📌 Transformação dos elementos em estado puro
📌 Equilíbrio e pureza dos elementos
📌 Os cinco elementos e o tempo
📌 Os cinco elementos na natureza
📌 Os cinco elementos e o corpo
📌 Os cinco elementos e os sentidos

7 – Os Movimentos dos Cinco Elementos:
📌 Nangmo Shu Tung
📌 Drongmo Sur Dung
📌 Kyangmo Nyel Tab
📌 Trayi Lung Zin
📌 Ling Shi Ta Dril

8 –Lung Ro Sel – Exalando o vento viciado
9- Relaxamento pós-prática do Lu Jong


 

 

 

Seminário: A Arte de Educar Espiritualmente

No mundo moderno a dúvida sobre o certo e o errado tem levado a cada vez mais confusão sobre como se educar filhos. O sociólogo Zygmund Baumann comenta sobre as dificuldades dos pais na criação dos filhos:

“Ter filhos significa avaliar o bem-estar de outro ser, mais fraco e dependente, em relação ao nosso próprio conforto. A autonomia de nossas preferências tende a ser comprometida, e continuamente: ano após ano, dia após dia. A pessoa pode tornar-se — horror dos horrores — “dependente”. Ter filhos pode significar a necessidade de diminuir as ambições pessoais, “sacrificar uma carreira”, como pessoas submetidas à avaliação de seu desempenho profissional olham de soslaio em busca de algum sinal de lealdade dividida. Mais dolorosamente, ter filhos significa aceitar essa dependência divisora da lealdade por um tempo indefinido, aceitando o compromisso amplo e irrevogável, sem uma cláusula adicional “até segunda ordem” — o tipo de obrigação que se choca com a essência da política de vida do líquido mundo moderno e que a maioria das pessoas evita, quase sempre com fervor, em outras manifestações de sua existência. Tomar consciência de tal compromisso pode ser uma experiência traumática. A depressão e as crises conjugais pós-parto parecem enfermidades específicas de nossa “modernidade líquida”, da mesma forma que a anorexia, a bulimia e incontáveis variedades de alergia.”

O que a educação deveria promover: Uma pessoa com futuro brilhante? Uma pessoa de bem? Paz? Realização Pessoal? Com dúvidas como essas a educação tem falhado em lares e escolas.

A filósofa, Hannah Arendt, também comenta sobre as diferenças entre a educação escolar e a familiar:

“A função da escola é ensinar às crianças como o mundo é, e não instrui-las na arte de viver.”

A espiritualidade sempre foi o caminho básico para o autoconhecimento e o sucesso em todos os sentidos. Com o devido autoconhecimento, o homem pode gerar o mundo que deseja, sempre pleno de consciência.

Nesse seminário trabalharemos com pais e educadores o papel da Espiritualidade na formação do indivíduo. Ao mesmo tempo observaremos a importância de haver espiritualidade nos lares e escolas, mesmo sem haver alguma forma de ligação religiosa. Espiritualidade, além da religiosidade, é o conhecimento de si mesmo, de seus limites, emoções e sentimentos. Ao conhecer a si mesmo, o mundo se abre para nós e nossos filhos!


Facilitadores:

Delcio Kunzler – teólogo, filósofo, realizando a formação como analista junguiano, tendo 10 anos de experiência como padre.

Helio Jinke – psicanalista, membro da Associação Internacional de Psicologia da Religião e da Associação Brasileira de Etnopsiquiatria


Data: 14 de março de 2020

Horário: 9h as 11h30

Investimento: R$80,00

Local: na sede de Garibaldi, avenida Independência, 719, centro

É PRECISO CONFIRMAR COM ANTECEDÊNCIA! VAGAS LIMITADAS!

educar 3

Educação Emocional

Elinor Gene Knudsen Hoffman, terapeuta que desenvolveu o sistema de Escuta Compassiva, em um de seus escritos lembra um detalhe importante sobre o ser humano: “de que um grande fonte de violência são as nossas feridas não curadas.”

Basicamente tem sido mais fácil conhecermos nossos sofrimentos e uma forma de violência latente que permeia toda a sociedade, mesmo nas escolas infantis, do que perceber a si mesmo. Raramente entendemos o que sentimos. Confundimos medo com raiva e tristeza com preocupação. Não sabemos ao certo o que se passa dentro de nós. E, caso tenhamos sofrido violência doméstica ou cultural, não entender o que se sente tem levado a onda crescente de violência, como disse a Dra. Gene Hoffman.

O que eu sinto? O que é a depressão que se fala tanto? O que é a raiva? O que é a alegria? Por que me sinto triste? O que é a dor? O que é o objeto de busca mais profunda do ser humano, a felicidade?

Dr. Ludwig Binswanger, o idealizador da Daseinsanalyse, diz que o “ser é fundamentalmente presença, em que o ser em causa é a sua própria possibilidade de ser.”

O professor e monge budista, Walpola Rahula lembra que a “emancipação do homem depende de sua compreensão da Verdade” e que “para quem procura a Verdade é irrelevante saber de onde vem a ideia. A origem ou o desenvolvimento de uma ideia são assuntos para o acadêmico. De fato, para saber a Verdade não é sequer necessário saber se o ensinamento parte de Buda ou de outra pessoa qualquer. O que é essencial é ver o assunto e compreendê-lo.”

O filósofo e psiquiatra, Dr. Karl Jaspers, também comenta que “a Existência só se
pode esclarecer. A realidade deixa de ser o mundo para ser a própria realidade do existir ou o próprio existir enquanto tal, uma vez que do ponto de vista formal, a Existência equivale ao ser-sujeito.”

O ser-sujeito precisa existir. Ser responsável por sua existência. É disso que trata a Educação Emocional: existir.

Será que o que sinto é o que realmente sinto? Por que falo coisas quando não estou pensando? Por que quando desejo algo acabo por fazer exatamente o oposto? Por que sinto essa opressão no peito? Emoção e sentimento são a mesma coisa?

As técnicas que utilizamos no Instituto como base para o desenvolvimento emocional e o autoconhecimento se estruturam nos princípios do Mindfulness, a saber:

  • consciência da respiração
  • conhecer o próprio corpo
  • caminhar conscientemente
  • aplicar atenção plena a cada atividade do dia

A questão aqui é a tomada de consciência. Estar realmente presente, especialmente sobre o que refere a si mesmo. O Dr. Jon Kabat-Zinn, idealizador das técnicas de Mindfulness no ocidente comenta que “grande parte do sistema educacional orienta os alunos a se tornarem melhores pensadores, mas quase não há atenção para nossa capacidade de prestar atenção e cultivar a consciência.” E isso se refere também a auto-educação, algo que não estamos acostumados, pois, “a ética puritana nos deixou uma herança de culpa quando fazemos algo só para nós mesmos.” 

Conhecer a si mesmo, especialmente através de nossas emoções, é um modo de experimentar o mundo!

keshilla

Ciência Contemplativa

Existe atualmente muitos centros no mundos dedicados ao estudo científico da contemplação e da meditação na mente e comportamentos humanos. Muito mais do que proporcionar relaxamento e uma base para isso, a Ciência Contemplativa realmente se dedica a entender e a criar novos métodos para a educação em todos os níveis com aplicações diversas.

Os neurocientistas, estudando os efeitos da meditação, contemplação e oração, perceberam que os praticantes tem maior atividade cerebral nas regiões do lobo frontal e do sistema límbico, responsáveis pela cognição e comportamento. Ao mesmo tempo perceberam que a região do lobo parietal, responsável pela lógica, tem diminuídas suas funções. É quando a pessoa alcança a experiência pura, segundo o filósofo japonês, Kitaro Nishida, ou, a experiência mística, segundo diversas tradições.

63d09-sociedade-portuguesa-de-meditac3a7c3a3o-neurociencia-cc3a9rebro

A Dra. Sara Lazar (PHD), pesquisadora do Programa de Pesquisa em Neuroimagem Psiquiátrica do Massachusetts General Hospital , diz em uma publicação na “The Harvard Gazette” que, “embora a prática da meditação esteja associada a uma sensação de tranquilidade e relaxamento físico, os praticantes há muito afirmam que a meditação também proporciona benefícios cognitivos e psicológicos que persistem ao longo do dia”. (para saber mais acesse Eight weeks to a better brain)

A figura abaixo mostra a espessura da ínsula e do córtex pré-frontal dos praticantes e não praticantes de meditação envolvidos na pesquisa.

Na segunda figura é possível observar o impacto da meditação e do Yoga sob a inteligência.

A terceira apresenta a mudança na concentração da massa cinzenta no hipocampo.

A quarta imagem apresenta mudança na densidade da massa cinzenta na Amígdala.

A última imagem apresenta as regiões com aumento de massa cinzenta após oito semanas de tratamento envolvendo as técnicas de Mindfulness.

Mesmo estudiosos cientistas que se dedicaram aos estudos das praticas contemplativas e meditativas puderam entender que nossa ciência, no entanto, ainda não tem condições de explicar nem mensurar todas as mudanças possíveis. Isso, no entanto, não impede que estudos aprofundados sejam feitos. Um dos maiores estudiosos no assunto, provavelmente, um dos pioneiros, foi o psiquiatra, Dr. Tomio Hirai. Em 1966, por exemplo, o médico japonês publicou um tema interessante, “An electroencephalographic study on the Zen meditation”, que você pode baixar aqui… EEG_and_Zazen.

Porém, entendemos que qualquer situação pode promover mudanças em nosso cérebro, mesmo experiências traumáticas, como um tiro na cabeça, por exemplo. Porém, isso por si só já é um argumento importante sobre a eficácia dos estudos, pois, muito além do processo de meditar que envolveria práticas específicas e direcionadas, a contemplação entra no campo do que é natural ao homem, que não exige mudanças de comportamento aparentes, mas, que as promovem como resultado ao passo que o individuo encontra seu ritmo de observação interna e externa.

Workshop de Arteterapia Contemplativa

A Arteterapia vem sendo desenvolvida em diversos seguimentos da educação e da psicologia. A abordagem desse workshop segue os fundamentos do pensamento contemplativo de todas as tradições, sobretudo orientais, como prática de autoconhecimento e auto-educação emocional.

Mantém, ampliando, os princípios simbólicos estabelecidos para o diagnóstico e aplicação da terapia de Carl Gustav Jung, fundador da Psicologia Profunda; Karlfried Graf Durkheim e Maria Von-Hippius, fundadores da Psicologia Iniciática; e do MIndfulness.

As Mandalas, por exemplo, sempre fizerem parte dos processos iniciáticos dos monges tibetanos para que, juntamente com a ritualística envolvida, pudessem alcançar o estado da iluminação. E esse é o aspecto mais profundo da práticada Arteterapia Contemplativa, conduzir o homem ao estado brilhante de sua mente, utilizando as palavras do Dr. Han De  Witt, fundador da Psicoterapia Contemplativa.

 

Programação

  • O que é a arte?
  • A arte e sua influência na sociedade e na cultura.
  • A arte como fonte de conhecimento e expressão humana.
  • Fundamentos Contemplativos da Arteterapia
  • Fundamentação teórica nas Psicologias Profunda e Iniciática, e também na Pedagogia Contemplativa
  • As diversas formas de expressão.
  • Arteterapia como prática terapêutica.
  • Atividades práticas.

 

O que será oferecido?

  • material de apoio
  • polígrafo
  • coffee break

Data: 31 de agosto de 2019

Horário: 9h00 as 17h00

Local: Garibaldi, RS. Local ainda a combinar.

Facilitadora: Alexandra Peruffo. Desenvolve trabalhos voltados à Pedagogia Contemplativa e Arteterapia Contemplativa. Licenciada em Artes. Técnica em Administração de Empresas. Especialista em Terapias Orientais voltadas para a Biotipologia dos Cinco Movimentos. Reiki Usui Ryoho. Concluindo a formação em Pedagogia Contemplativa. Instrutora em Mindfulness.

Investimento: R$270,00

arte

Por que dói meu corpo?

Você sente dores no peito? Dores nas articulações? Vira o pé e o tornozelo com frequência? Sente dores no cotovelo? Pescoço? Lombar? Se você sente alguma dessas coisas, provavelmente, se pergunta sobre o por que isso está acontecendo, mesmo que você procure se cuidar ou que esteja vivendo uma época sem grande problemas.

Por que meu corpo dói, então?

O estudo que faremos juntos é sobre como criamos nossas dores, como elas surgem em nós, mesmo que não queiramos sentir dor. A abordagem principal é sobre os aspectos simbólicos da doença, ou seja, a dor como símbolo na mente e na cultura humana.

Ao mesmo tempo serão ensinadas técnicas simples e efetivas sobre como entender a dor e dissipá-la. Aprenderemos a identificar a dor real e a causada pela mente, desenvolvendo meios para lidar com ambas.

Estudar e entender o por que sentimos dores pode ser o início para uma vida mais plena e significativa, especialmente quando são o resultado de nossas angústias (mesmo que inconscientes), pois, como disse o etnopsiquiatra húngaro, George Devereaux, “é pela angústia que se produz o conhecimento.”

Viva melhor! Abra um espaço interno para o bem-estar!


Data: 06 de junho

Local: Edifício Milani, sala 404, centro, Garibaldi

Investimento: R$80,00

Facilitador: Prof. Dr. Helio Laureano (Etnopsicanalista – Neuropsicologo – Neuropsicopedagogo – Especialista em Psicologia Transpessoal – Doutor em Psicologia e Antropologia – Instrutor de Mindfulness – Membro da Sociedade Brasileira de Etnopsiquiatria – Diretor do CENTRO DE ESTUDOS CONTEMPLATIVOS)


www.pinterest.com_-832x350

Curso para pais

A cada ano que passa pedagogos, psicopedagogos, psicólogos, psiquiatras, educadores e pais percebem a necessidade urgente de cuidar da saúde mental dos filhos.

Esse cuidado com certeza inicia na infância. Mas não termina ai. Cada fase apresenta novidades que nem sempre são entendidas, percebidas e utilizadas para melhorar a vida dos filhos.

Queremos uma sociedade mais amena com adultos mais conscientes e compassivos, ao mesmo tempo em que desejamos sucesso, saúde e realizações. E você, papai e mamãe, tem muito a contribuir para isso.

Veja mais informações sobre o curso:

Cuide da Saúde Mental de seu Filho – Nível 1 (0 a 4 anos)

– como funciona o nosso cérebro das criancas
– como a criança entende o mundo (o mundo na ótima das criancas)
– filhos: sintoma dos pais
– técnicas simples e eficientes de relaxamento
– saúde dos pais: sentimentos de inadequação, sensação de cansaço, tristeza, medo do futuro, trabalho secular
– bate-papo com os pais: momento das dúvidas

Baixe seu pré-polígrafo aqui: Como funciona cérebro de seu filho

Data: 18 de maio

Horário: 9h as 11h

Local: Hotel mosteiro São José (R. Buarque de Macedo, 3590 – Centro, Garibaldi – RS)
investimento: R $80,00
O que será oferecido: – curso com apresentações
– apostila
Facilitador: Prof. Dr. Helio laureano – neuropsicologo – neuropsicopedagogo – instrutor de Mindfulness – especialista em Psicologia Transpessoal – doutor em Psicologia – doutor em Antropologia