Seminário: A Arte de Educar Espiritualmente

No mundo moderno a dúvida sobre o certo e o errado tem levado a cada vez mais confusão sobre como se educar filhos. O sociólogo Zygmund Baumann comenta sobre as dificuldades dos pais na criação dos filhos:

“Ter filhos significa avaliar o bem-estar de outro ser, mais fraco e dependente, em relação ao nosso próprio conforto. A autonomia de nossas preferências tende a ser comprometida, e continuamente: ano após ano, dia após dia. A pessoa pode tornar-se — horror dos horrores — “dependente”. Ter filhos pode significar a necessidade de diminuir as ambições pessoais, “sacrificar uma carreira”, como pessoas submetidas à avaliação de seu desempenho profissional olham de soslaio em busca de algum sinal de lealdade dividida. Mais dolorosamente, ter filhos significa aceitar essa dependência divisora da lealdade por um tempo indefinido, aceitando o compromisso amplo e irrevogável, sem uma cláusula adicional “até segunda ordem” — o tipo de obrigação que se choca com a essência da política de vida do líquido mundo moderno e que a maioria das pessoas evita, quase sempre com fervor, em outras manifestações de sua existência. Tomar consciência de tal compromisso pode ser uma experiência traumática. A depressão e as crises conjugais pós-parto parecem enfermidades específicas de nossa “modernidade líquida”, da mesma forma que a anorexia, a bulimia e incontáveis variedades de alergia.”

O que a educação deveria promover: Uma pessoa com futuro brilhante? Uma pessoa de bem? Paz? Realização Pessoal? Com dúvidas como essas a educação tem falhado em lares e escolas.

A filósofa, Hannah Arendt, também comenta sobre as diferenças entre a educação escolar e a familiar:

“A função da escola é ensinar às crianças como o mundo é, e não instrui-las na arte de viver.”

A espiritualidade sempre foi o caminho básico para o autoconhecimento e o sucesso em todos os sentidos. Com o devido autoconhecimento, o homem pode gerar o mundo que deseja, sempre pleno de consciência.

Nesse seminário trabalharemos com pais e educadores o papel da Espiritualidade na formação do indivíduo. Ao mesmo tempo observaremos a importância de haver espiritualidade nos lares e escolas, mesmo sem haver alguma forma de ligação religiosa. Espiritualidade, além da religiosidade, é o conhecimento de si mesmo, de seus limites, emoções e sentimentos. Ao conhecer a si mesmo, o mundo se abre para nós e nossos filhos!


Facilitadores:

Delcio Kunzler – teólogo, filósofo, realizando a formação como analista junguiano, tendo 10 anos de experiência como padre.

Helio Jinke – psicanalista, membro da Associação Internacional de Psicologia da Religião e da Associação Brasileira de Etnopsiquiatria


Data: 14 de março de 2020

Horário: 9h as 11h30

Investimento: R$80,00

Local: na sede de Garibaldi, avenida Independência, 719, centro

É PRECISO CONFIRMAR COM ANTECEDÊNCIA! VAGAS LIMITADAS!

educar 3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s